17
Dez 08
publicado por Alexandre Veloso, às 19:39link do post | comentar

Há quarenta anos atrás uma Administração america comandada por um democrata, Lyndon Johnson, condenou os Estados Unidos a entrarem numa guerra para a qual não estavam preparados, a Guerra do Vietname.

As tácticas de guerrilha dos vietcongues levaram os americanos ao desespero, a Ofensiva do Tet mostrou ao mundo que os Estados Unidos tinham um bom poder militar, porque saíram vitoriosos dessa batalha, mas que não possuíam nenhuma noção do território em que estavam nem nenhum tipo de conhecimento sobre a capacidade de resistência dos vietnamitas.

Os democratas colocaram os Estados Unidos numa guerra, e foram os republicanos, com Richard Nixon e Gerald Ford, que tiveram de tirar o país do "atoleiro" em que o Vietname se tinha transformado, arcando assim com o peso da humilhação da derrota.

Quarenta anos depois, o jogo inverteu-se: foi uma administração republicana, de George W. Bush, a colocar os EUA  numa guerra, da qual os EUA saíram vitoriosos no terreno, mas derrotados pela triste realidade que se seguiu à vitória. Tal como no Vietname, os EUA não sabem como se irão livrar do problema que causaram e não sabem quando irão retirar definitivamente do Iraque.

E caberá a uma administração democrata, de Barack Obama, resolver este problema. E tal como foi difícil para Ford aguentar o peso da derrota na hora da retirada de Saigão, não menos fácil será para Obama aguentar o fardo da derrota moral na hora em que o último soldado americano abandonar Bagdade.

Pequenas ironias da história americana.


Ler
pesquisar neste blog
 
arquivos
blogs SAPO