10
Jan 09
publicado por Alexandre Veloso, às 18:37link do post | comentar

Manuela Ferreira Leite propôs um debate com o Primeiro-Ministro com o objectivo de debater a situação económica do país. O Governo recusou. Confesso que seria interessante assistir a esse debate para ver como Sócrates faria frente a uma economista com créditos firmados como Ferreira Leite. Tenho a certeza que iria espalhar-se ao comprido.

Em aspectos económicos a principal diferença entre ambos é que num período de crise, como em 2002 e 2003, enquanto Manuela, que era ministra das finanças, teve a coragem de elaborar um Orçamento duro que obrigou os portugueses a apertar o cinto, o PM propõe um Orçamento fantasioso, irreal e impraticável. Sócrates viveu na ilusão durante os últimos meses, ignorando os mais diversos sinais de que a recessão (Perdão. Na linguagem socrática este é um termo proibido. Fica melhor dizer: período de menor crescimento económico) vinha aí.

Agora que a recessão chegou é preciso rever o Orçamento para dar-lhe um cunho mais realista e não tão utópico. Este Orçamento Rectificativo (Perdão. Na linguagem socrática fica melhor dizer orçamento suplementar ou adicional) só vem dar razão a todos aqueles que criticaram o PM ao longo de todos estes meses.

Com:

- recessão

- crise dos professores

- divergências com o Presidente

- o ministro da Agricultura debaixo de uma chuva de críticas

- a provável derrota do governo na questão dos Açores (esperem pelo Tribunal Constitucional)

- futuras obras públicas de discutível necessidade

- Manuel Alegre cada vez mais contra as políticas socráticas

 

eu pergunto: Quais são os motivos que o partido do Largo do Rato tem para rir?

Na minha opinião, nenhuns. Porque tudo o que o Governo faz de mal reflecte-se nas pessoas que não tem o que comer ou não tem onde dormir  ou não tem dinheiro para pagar as contas no final do mês.

Para estas pessoas, e também para mim, a péssima forma como o PM tratou a anunciada entrada do país em recessão, negando-a veementemente, é que é motivo de riso e também de preocupação e não o que Manuela Ferreira Leite diz ou pensa, porque o PSD é oposição e o PS, infelizmente, é Governo.

Para mim já não há é paciência para este PM e para o seu sorriso hipócrita.

 


Tens razão quando dizes que a Ferreira Leite é uma economista com créditos. Viu-se quando esteve no governo: os portugueses tiveram que apertar o cinto, e depois como ficou o país? Com as contas viradas do avesso. Se não fosse Sócrates e a rectificação do défice orçamental neste momento ainda estávamos a fazer o choradinho diante da União Europeia.

Em relação às críticas, isso é conversa fiada. As políticas governamentais trazem sempre aplausos e apupos atrelados. O que me faz rir é que a avaliação, por exemplo, é para o bem dos professores. Bem como o foi a política de encerramento de hospitais.
A tua querida Ferreira Leite que apresente alternativas dignas desse nome e depois conversamos. Se não, até daqui a quatro anos!

Deixa o sorriso do Sócrates para outra ocasião. Há coisas mais sérias em jogo.
Simão Martins a 11 de Janeiro de 2009 às 03:26

o país ficou em situação mais difícil com as politicas de ferreira leite? sim, ficou, mas pelo menos teve a coragem de aceitar a crise e avisar que o período seria de crise. não fez como JS que andou meio ano a mentir ao povo a dizer que não havia crise nenhuma e que teriamos um crescimento de 0,6!!!!!!!!
Volto a dizer que o PSD é apenas oposição e até pode apresentar propostas mas se não for governo não as pode aplicar. quem as aplica é o governo e esse tem medidas bastante discutiveis. Em relação aos profs acho que ao menos tiveram a humanidade de corrigir os erros que a avaliação tinha, porque algumas medidas da primeira proposta eram absolutamente ridiculas. concordo com as alterações, mas cabe aos sindicatos tb as entenderem.
o sorriso até pode ser neste momento o menos importante. só é pena é que o governo não tenha atenção para o que é realmente importante e perca tempo a enganar o povo ou a vender magalhães(para depois os tomar de volta, pq as idas às escolas são só show off).
Alexandre Veloso a 11 de Janeiro de 2009 às 17:44

"..Em aspectos económicos a principal diferença entre ambos é que num período de crise, como em 2002 e 2003, enquanto Manuela, que era ministra das finanças, teve a coragem..."

Vou fazer um género de composição da primaria onde se continuava o texto.
Falemos em coragem então! Realmente, se formos ver, os anteriores lideres do PSD " esses corajosos " quem observamos?
um Lider =D ( Pedro Santana Lopes ) nomeado pelo Presidente da Republica na altura, Jorge Sampaio. Ou seja, um lider que nunca sequer foi a votos. E quando nos lembramos do Governo de Santana, lembramo-nos certamente de outras figurinhas como o Paulinho Portas, Bagoes Felixes e outros tantos. Eis a minha defenição desse GRANDE E CORAJOSO lider do PSD. Enfim, tempos que já la vão.
Agora falemos noutro lider. CHERNE, CHERNE CHERNE =D. Onde tinhamos lá a " nossa " Corajosa MANELA, a tal de á bocado.
Portanto outro governo Glorioso, porque se bem te recordas esse tal Cherne ( Durão Barroso ) como se viu quase afogado, tal peixe fora de água, mudou-se assim que pôde para outras águas.
Foi convidado para Presidir a União Europeia e pronto, tal peixe fresco os olhos brilharam e lá foi ele.
Esse lider corajoso, e o seu Governo onde estava a corajosa Manela todos por água abaixo.

"...Para mim já não há é paciência para este PM e para o seu sorriso hipócrita..."

Não poderia estár mais de acordo Alexandre. Assim como, também já não há paciência para a Manela! Quando é que alguém lhe ensina a dizer " PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS " e não "PIQUENAS E Médias Empresas " .

Sena a 12 de Janeiro de 2009 às 12:23

Ler
pesquisar neste blog
 
arquivos
blogs SAPO