12
Fev 09
publicado por Alexandre Veloso, às 21:50link do post | comentar

Sobre o debate desta noite na SIC sobre a Política e a Mediatização gostava de deixar algumas pequenas impressões sobre a prestação dos intervenientes no debate:

 

- Maria José Nogueira Pinto demonstrou uma extrema lucidez sobre os aspectos abordados e lembrou que nem sempre o partido menor consegue aguentar durante muito tempo as pressões às quais é sujeito numa coligação autárquica. Deixou ainda um comentário sobre o qual estou perfeitamente de acordo: na política não é necessário encher a rua de cartazes, causando assim uma grande poluição visual, nem distribuir saquinhos de prendas para se ganhar votos. O que é realmente preciso é mostrar-se ser um candidato capaz e com ideias arrojadas, desde que enquadradas na realidade. O resto são apenas "fait-divers".

 

- Hernâni Carvalho aparenta ainda ser muito ingénuo no mundo da política. Achar que mesmo sendo independente, mas com o apoio do PSD, na corrida à Câmara Municipal de Odivelas o vai imunizar de pressões do partido para seguir as linhas orientadoras necessárias no caso de uma hipotética vitória só demonstra das duas, uma: ou muita ingenuidade ou muita falta de conhecimento da actividade política exercida nas autarquias (mas não só: as pressões existem em todos os cargos. Do Ministro ao presidente da Junta de Freguesia).

 

- Joana Amaral Dias mostrou uma grande frontalidade ao dizer que enquanto achar que pode, através da televisão, dar o seu contributo e a sua opinião sobre diversos assuntos, vai continuar a fazê-lo. Uma frontalidade rara nos políticos, porque praticamente diz que vai continuar a "aproveitar-se" do espaço que lhe é proporcionado na televisão. E numa altura em que está "às turras" com a direcção do Bloco de Esquerda, o espaço mediático acaba por dar-lhe um enorme jeito para continuar a ser lembrada e a ser ouvida.

 

- Gonçalo Amaral acabou por mostrar-se demasiado confuso na hora de explicar o que o levava a tentar candidatar-se à Câmara Municipal de Olhão pelo PSD, candidatura essa já prontamente recusada por Manuela Ferreira Leite. A sua tentativa de comparar o trabalho político com o trabalho que efectuou na Polícia Judiciária não foi muito feliz, porque, há que se convir, uma actividade é muito diferente da outra. O ter sido um bom inspector da PJ não faz dele um bom candidato.

 


Tenho a dizer. Uma imitação baratissima de algo parecido com o prós e contras. Programa fraco, poucos convidados e pouco tempo de debate. A estaçao SIC já viveu melhores dias.
sena a 13 de Fevereiro de 2009 às 03:27

Ler
pesquisar neste blog
 
arquivos
blogs SAPO