14
Mar 09
publicado por Alexandre Veloso, às 13:37link do post | comentar

A distribuição dos computadores Magalhães aos pequenos estudantes cabo-verdianos causou-me espanto!

 

Como é possível estar-se a distribuir computadores que estão recheados de erros de português! E Sócrates pareceu muito contente a distribuir os computadores. Mas uma palavra sobre os erros que o computador tem é que não se lhe ouviu. Quando é para elogiar as potencialidades que o computador tem, Sócrates enche o peito e até arma-se em feirante para promover " a sua fruta", mas quando é para justificar o porquê de tantos erros de português, a resposta é o silêncio.

 

Na edição deste mês da revista "LER", António Barreto afirma que "o Magalhães é o maior assassino da leitura em Portugal". Tenho que dar-lhe razão. Em primeiro porque afasta as crianças da verdadeira cultura, que é a que se apreende nos livros, e em segundo porque sequer ensina-lhes um português correcto. O Governo devia era gastar mais dinheiro a promover a leitura do que a promover computadores, porque quer se queira quer não, está-se a dar um incentivo às crianças para que fiquem, desde cedo, viciadas nos pequenos joguinhos que o computador oferece.

 

A actual situação do país não é de admirar: não foi Sócrates que disse que os seus colaboradores só usavam o Magalhães. Pois.... é claro que nunca observam quais são os reais problemas do país, já que nunca conseguiram observar os erros que o computador traz, e que nunca agem da maneira mais correcta perante algumas situações, porque estão demasiado ocupados a jogar os educativos "joguinhos" do Magalhães.

 

Imagino o que Fernão de Magalhães pensaria se soubesse que o seu nome é usado num computador que literalmente "assassina" a língua portuguesa. Deve estar a remexer-se no seu túmulo!

 


Sabia que há pides de volta à blogosfera: Quem quiser ler uma história de areia aos olhos do povo e pides da blogosfera http://tinyurl.com/cdauyo.
Abraço,
Carlos Santos
Carlos Santos a 19 de Março de 2009 às 23:54

Não posso concordar mais com o seu post. Contudo o que questiono é o seguinte: É melhor ou não haver "magalhães". A resposta é lógica, contudo, quando se faz qualquer coisa deve ser bem feito, e não éramos portugueses se as coisas saíssem bem à primeira. Por mim espero que todos os erros sejam corrigido. Se por um lado concordo com a atribuição de computadores low-cost, por outra, e confesso que posso estar a cometer uma blasfémia, acho que causa uma dependência precoce a este tipo de equipamentos. Os miúdos qualquer dia, para pensarem precisam de ter um auxiliar que os leve a cometer essa acção. Vamos viver num mundo de autómatos com 0% de criatividade. Como sou Pai, espero poder contrariar a maré na educação dos meus filhos.
VLSM a 20 de Março de 2009 às 13:00

Ler
pesquisar neste blog
 
arquivos
blogs SAPO