02
Mai 09
publicado por Simão Martins, às 11:40link do post | comentar

 

Terminei há bocado a leitura d'"O Tigre Branco" de Aravind Adiga.

 

Um livro sobre um empresário que era criado e que saiu da "Escuridão" (miséria, pobreza, servidão). Um livro sobre a Índia, a desenvolvida e a miserável, estrondosamente pobre e onde reina a assimetria entre os que têm o poder e os que nunca o terão.

 

Aravind Adiga utiliza, a certa altura, uma comparação entre ricos e pobres, que cito aqui:

 

"Os sonhos dos ricos e os sonhos dos pobres - nunca coincidem, pois não?

Está a ver, os pobres toda a vida sonham em ter o suficiente para comer e em ficar parecidos com os ricos. E os ricos, com que é que sonham?

Com perder peso e ficar parecidos com os pobres."

 

A ironia conduz todo o livro, uma carta ao primeiro-ministro chinês que vai visitar a Índia, que lhe é descrita por este empresário indiano, outrora criado. Mas isso não acontece com todos os que vivem na "Escuridão". Aliás, acontece com muito poucos. E assim é a Índia.


Ler
pesquisar neste blog
 
arquivos
blogs SAPO