17
Dez 08
publicado por Fábio Matos Cruz, às 17:07link do post | comentar

Uma vez por outra, ainda se denota alguma coerência e lucidez no caos do Parlamento. O líder parlamentar do PSD, Paulo Rangel, teve ainda há pouco o seu momento de glória. Revelou uma brecha onde, mais cedo ou mais tarde, se descobrirá a minhoca das maçãs podres que o Governo anda a vender: onde está o pagamento das dívidas do Estado face às empresas que vão financiar os investimentos públicos? Até ao sector bancário, congelado e desesperado por dinheiro fresco, cujas garantias que lhe foram concedidas servirão menos para se financiar do que para suportar os custos de obras faraónicas. O plano anti-crise, lançado duas semanas depois da aprovação do Orçamento, não apresenta qualquer margem de manobra para este pormenor de longo prazo. Que raio de obsessão com resultados imediatos.


Ler
pesquisar neste blog
 
arquivos
blogs SAPO